E quem pensa que ele morreu, olha isso:
Luiz Gonzaga do Nascimento (Exu, 13 de dezembro de 1912 — “…”) foi um compositor popular brasileiro, conhecido como o Rei do Baião.
Foi uma das mais completas e inventivas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de acordeão, zabumba e triângulo, levou a alegria das festas juninas e dos forrós pé-de-serra, bem como a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino, para o resto do país, numa época em que a maioria das pessoas desconhecia o baião, o xote e o xaxado. Admirado por grandes músicos, como Gilberto Gil e Caetano Veloso, o genial instrumentista e sofisticado inventor de melodia e harmonias, ganhou notoriedade com as antológicas canções Baião (1946), Asa Branca (1947), Siridó (1948), Juazeiro (1948), Qui Nem Giló (1949) e Baião de Dois (1950).
E cá entre nós, não tem como falar em música brasileira sem citar Asa Branca. Sua obra permanece viva, e ele vem no rastro.

Por isso Parabéns, Véi Lula. Você É o cara.
Ah, e parabéns a Rede Globo pelo especial ai de baixo.